mardi 6 novembre 2007


Voltando rapidamente a este blog
deveras abandonado, tenho que atualizar os poucos insistentes leitores nas novidades da última semana, que causaram 'marolas significativas' no ambiente digital. Duas delas paridas pelo gigante Google: o lançamento da plataforma 'Open Social',
onde o 'conceito é ter um único padrão de produzir programas e extensões para várias redes sociais'; e o anúncio da 'Open Handset Alliance' powered by 'Android': uma plataforma open source de desenvolvimento para celulares baseada na licença Apache 2, OS Linux, e linguagem Java, e que já conta com Motorola, NTT DoCoMo e Telecom Italia entre os 30 parceiros iniciais.

O timing desta avalanche mercadológica do Google baseada no conceito 'open' até parece ser uma reação desproporcional ao sucesso do Facebook, e para os desenvolvedores será necessário aguardar um pouco mais para descobrir o real valor das iniciativas. Ao mesmo tempo em que é interessante ver o conceito 'open' ser promovido pelo maior player da rede, cada vez mais temos a impressão de que o Google se abre com o único objetivo de engolir-nos a todos em seu gigantesco silo colorido.

De fato, alguns comentaristas destacam que o gigante da web promove o conceito 'open' somente quando conveniente, e geralmente em setores nos quais se encontra em desvantagem competitiva. No âmbito das máquinas de busca por exemplo, onde o reinado do Google se baseia em sua capacidade aparentemente infinita de escalar seu index de conteúdos da web, porque não lançar uma 'Open Index Alliance'?

Aposto 1 contra 100 como esta iniciativa não vai partir do Google. Entretanto, vale à pena acompanhar
o projeto de 'open search' que surgiu do encontro de Jeremie Miller , o pai do Jabber e do protocolo XMPP, com Jimmy 'Wikipedia' Wales e seu novo projeto comunitário, o Wikia. O Wikia Search pretende tornar a busca uma parte da infraestrutura da web baseada no protocolo aberto Atlas: ao invés de um sistema monolítico (o silo Google), uma ação integrada de várias entidades independentes que irão desempenhar diferentes papéis, tornando a busca na rede o resultado de uma infraestrutura global totalmente distribuída e interoperável. Sobre este assunto, vale explorar o conceito de 'Economia do Significado' ('The Meaning Economy') desenvolvido pelo Jeremie Miller em seu blog:
O futuro da busca está na cooperação (e competição) abertas baseada na 'Economia do Significado' - criar significados, negociar significados, servir significados. Minha visão se inicia com um protocolo aberto, que permita a redes independentes que realizam funções de busca (pesquisa, indexação, ranking, hospedagem, etc) compartilhar e interoperar. Todas as relações entre estas redes são sempre absolutamente transparentes e abertamente publicadas. Redes trocam conhecimento entre si, cada uma adicionando novos significados à informação, cada uma delas responsável pelas reputações de seus participantes e pares. Este é o verdadeiro fundamento da 'Economia do Significado'. O 'amanhã' tem um significado que todos nós podemos ajudar a construir.
The Meaning Economy - Temporally Relevant
Outra área na qual o Google não demonstra qualquer abertura é em sua estratégia de digitalização e disponibilização do conteúdo de bibliotecas (Book Search). Em contraste com as iniciativas da Open Content Alliance, que promete acesso público irrestrito ao conteúdo e informações digitalizados, a empresa que costumava se gabar de 'não ser do mal' ('Google is not evil') parece tentar se colocar como o único lugar na rede onde tais conteúdos podem ser encontrados -- a única biblioteca, o único acesso. Brewster Khale, do Internet Archive, alerta que a possibilidade do controle sobre a biblioteca do conhecimento humano por parte de uma só empresa pode se tornar um pesadelo.

Querem outra dimensão absolutamente opaca do Google? Os programas AdWords e AdSense -- sua galinha dos ovos de ouro. Concordo com o argumento de que a empresa não tem nenhuma obrigação de compartilhar seus segredos estratégicos, mas a falta de transparência destes serviços são credenciais negativas para qualquer aspirante à promotor da tendência 'open' na rede. Afinal, o custo de um 'adword' pode variar muito de acordo com o misterioso 'score de qualidade', e um simples ajuste no algoritmo pode fazer com que estratégias de AdWords que funcionaram por anos se transformem subitamente em totais fracassos.

Também o AdSense está longe de ser um mercado aberto ('open') onde veículos podem definir o seu preço para expor anúncios em suas páginas, e ao mesmo tempo acompanhar quantos anunciantes estão interessados em pagar pelo serviço. Enquanto ficamos todos a especular sobre volumes e valores, só Deus sabe a parte que cabe ao Google nesta equação. O fato do valor da ação da empresa bater a casa dos 700 dólares nos últimos dias tem o efeito de tornar nossas adivinhações sobre o tema em fantasias estratosféricas. Seria o Google a nova Microsoft?

Em síntese, não há como negar a importância do Google para o movimento Open Source. A empresa não nega em momento algum que a base de seu sucesso é a plataforma Linux, e recentemente se juntou à 'Open Invention Network', uma inovadora organização para compartilhamento de patentes criada com o objetivo de fomentar um ambiente legalmente protegido para todos aqueles que utilizam Linux.

Também não podemos esquecer iniciativas como o Summer of Code, ou o apoio a eventos como o Ubuntu Developer Summit e o Linux Foundation Innovation Summit. Mas é importante perceber que as principais iniciativas 'open' do Google acontecem porque configuram-se como boas opções para os negócios da empresa, e não porque obedecem a qualquer princípio institucional ou filosófico. Que acham vocês?

vendredi 8 juin 2007

City View
Preview - Clique Aqui


City View é um layout simples.


Este template oferece opções de customização de fontes e cores.


Duas colunas, sidebar à direita.


Layout fixo.


Pontos Fortes:


Layout simples e clean.


A imagem do header e o degradê das laterais valorizam o visual simplésimo.


Anúncios contextuais como o Adsense podem ser facilmente integrados.


Boa quantidade de espaço pra os posts e os elementos da sidebar.


Pontos Fracos:


A largura fixa do layout cria uma barra de rolagem horizontal em resoluções de 800x600. Se o layout fosse só um pouquinho mais estreito - e poderia ser, pois são só duas colunas - não criaria a barra de rolagem. Se você se entende com HTML, diminua a largura do layout e seja feliz!




Links:


1 - Preview: Blog Templates - City View


2 - Informação sobre o Template e Instruções de Uso


3 - Download Blog Template City View


Palavras Chave:


- Duas Colunas
- Fixo
- Branco
- Cinza
- Simples
- Urbano




Technorati : , , , , , , , , ,

samedi 14 avril 2007

Tem muita gente que começa a publicar um blog com o único e exclusivo objetivo de ter um espaço para colocar anúncios do adsense e assim ganhar muito dinheiro sem precisar trabalhar.
Se engana quem acha que vai ganhar dinheiro fácil com o adsense. Mas pra quem está começando, aqui vão algumas dicas:

1. Visitação
para que os anúncios apareçam, o blog precisa ter visitação. Páginas pouco visitadas não recebem bons anúncios e geralmente ficam apenas com os terríveis anúncios públicos de curiosidades do google (estes não geram nem um centavo pro dono do site).
Como aumentar a visitação do seu blog:
1.1. faça um blog interessante. o assunto do seu blog tem que ser algo sobre o que muitas pessoas tenham interesse de ler. blog feitos como diários pessoais raramente dão bons resultados.
1.2. divulgue seu blog. entre em comunidades do orkut, fóruns ou listas de discussão que tenham a ver com o assunto do seu blog e recomende seu blog como fonte de informação. não chegue lá fazendo propaganda pura e simples porque as pessoas não gostam disso.
1.3. coloque um título que tenha a ver com o assunto do seu blog. o título e o endereço escolhidos são muito importantes pois os mecanismos de sites de busca dão bastante relevância para as palavras encontradas nestes espaços.
1.4. quanto maior o número e a frequencia das atualizações que vc faz no blog, maior a chance de que a visitação aumente.

2. assunto
os anúncios do google são escolhidos por assunto. o adsense verifica quais são as palavras mais frequentes e as utiliza para determinar o tema dos anúncios que serão colocados no blog. assim, blogs que tratam de assuntos variados podem receber anúncios que não têm nada a ver com o conteúdo do blog ou receber os anúncios públicos, que não pagam nada. o melhor é que o blog tenha um tema único e que não fuja muito do assunto.

3. localização dos anúncios
o próprio adsense faz sugestões de otimização dos anúncios. mas a dica é colocá-los misturados ao conteúdo do blog e/ou em lugar bem visível.


Ah, e agora para receber a grana ficou muito mais fácil:
o adsense manda o dinheiro direto para sua conta por transferência eletrônica. no banco do brasil, tem uma taxa de 20 dólares e o dinheiro cai no mesmo dia. :)

Nombre total de pages vues